Diferenças e a Harmonia

“A coisa mais fácil do mundo é encontrar diferenças. Difícil é harmonizá-las.”

Dalai Lamapatinhos

Estes dias vim conversando com outra professora da escola em que eu trabalho sobre isso. Como somos diferentes! E queremos sempre encontrar alguém que concorde conosco, que apoie a nossa ideia, que adivinhe o que nós queremos dizer, o que estávamos pensando, o que sentimos… doce ilusão e como causa dor pensar desta forma. 

O que traz tranquilidade e harmonia é o diálogo. Mas para isso, não basta só sentar e conversar, falar o que se pensa, de forma desorganizada. É preciso estar disposto, respirar fundo e buscar se colocar no lugar do outro, por traz de sua retina. Dar um pause nas conexões mentais que elaboram pensamentos o tempo todo, e procurar seguir a linha de raciocínio, a construção mental que o outro está elaborando. Procurar tentar detectar o porque do comportamento alheio inicialmente de um prisma positivo, dando oportunidades ao outro de demonstrar o que sente. Para isso é preciso paciência. Tempo. Ah… o tempo. Este nosso escasso amigo, que anda distante, viajando muito, e por isso, quase não o encontramos. No mundo atual, você está 24 h conectado com os outros e desconectado de você, de quem está do seu lado no dia a dia, na sua casa. Então como obter harmonia sem diálogo, sem olho no olho, sem ouvir uma música juntos, sem compartilhar pensamentos e dificuldades?

O desafio da atualidade está em ser você, em mostrar você, sem deixar de olhar o outro, de estar com o outro, de estar para o outro, de estar no outro, conectado na alma, e não somente na sua rede social preferida. Estar conectada com o coração nos outros 10 seres humanos mais importantes da sua vida, e não nos 678 amigos que não te cumprimentam na rua. Eu não estou dizendo que não é bacana, ter rede social. Pelo contrário. Ela encurta distâncias, te faz aprender com pessoas que você não teria oportunidade de ter contato se não fosse através dela. Te faz, por exemplo, falar com uma das 10 pessoas da sua vida diariamente, estando ela a quilômetros de você. Mas e, aquelas pessoas do seu dia a dia? Se otempo está escasso, como mediar isso? Como preterir estas pessoas ao contato virtual? É preciso ter sabedoria, muita sabedoria. Até porque, é bem mais difícil falar, olhando dentro dos olhos, do que para a tela do computador.

Nota

%d blogueiros gostam disto: