Que tal um curso de “escutatória”? :)

aprender-a-ouvir

Mas todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar”. ( Tiago, 1:19.) 

Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar.

Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular.

Escutar é complicado e sutil. Diz Alberto Caeiro que “não é bastante não ser cego para ver as árvores e as flores. É preciso também não ter filosofia nenhuma”. Filosofia é um monte de idéias, dentro da cabeça, sobre como são as coisas. Para se ver, é preciso que a cabeça esteja vazia.

Parafraseio o Alberto Caeiro: “Não é bastante ter ouvidos para ouvir o que é dito; é preciso também que haja silêncio dentro da alma”. Daí a dificuldade: a gente não agüenta ouvir o que o outro diz sem logo dar um palpite melhor, sem misturar o que ele diz com aquilo que a gente tem a dizer.

Como se aquilo que ele diz não fosse digno de descansada consideração e precisasse ser complementado por aquilo que a gente tem a dizer, que é muito melhor.

Nossa incapacidade de ouvir é a manifestação mais constante e sutil de nossa arrogância e vaidade: no fundo, somos os mais bonitos…

Tenho um velho amigo, Jovelino, que se mudou para os Estados Unidos estimulado pela revolução de 64. Contou-me de sua experiência com os índios. Reunidos os participantes, ninguém fala. Há um longo, longo silêncio. (Os pianistas, antes de iniciar o concerto, diante do piano, ficam assentados em silêncio, […]. Abrindo vazios de silêncio. Expulsando todas as idéias estranhas.). Todos em silêncio, à espera do pensamento essencial. Aí, de repente, alguém fala. Curto. Todos ouvem.

Terminada a fala, novo silêncio. Falar logo em seguida seria um grande desrespeito, pois o outro falou os seus pensamentos, pensamentos que ele julgava essenciais. São-me estranhos. É preciso tempo para entender o que o outro falou. Se eu falar logo a seguir, são duas as possibilidades. Primeira: “Fiquei em silêncio só por delicadeza. Na verdade, não ouvi o que você falou. Enquanto você falava, eu pensava nas coisas que iria falar quando você terminasse sua (tola) fala. Falo como se você não tivesse falado”. Segunda: “Ouvi o que você falou. Mas isso que você falou como novidade eu já pensei há muito tempo. É coisa velha para mim. Tanto que nem preciso pensar sobre o que você falou”. Em ambos os casos, estou chamando o outro de tolo. O que é pior que uma bofetada.

O longo silêncio quer dizer: “Estou ponderando cuidadosamente tudo aquilo que você falou”. E assim vai a reunião. Não basta o silêncio de fora. É preciso silêncio dentro. Ausência de pensamentos. E aí, quando se faz o silêncio dentro, a gente começa a ouvir coisas que não ouvia.

Eu comecei a ouvir.

Fernando Pessoa conhecia a experiência, e se referia a algo que se ouve nos interstícios das palavras, no lugar onde não há palavras.

A música acontece no silêncio. A alma é uma catedral submersa. No fundo do mar – quem faz mergulho sabe – a boca fica fechada. Somos todos olhos e ouvidos. Aí, livres dos ruídos do falatório e dos saberes da filosofia, ouvimos a melodia que não havia e que de tão linda nos faz chorar.

Daí a importância de saber ouvir os outros: a beleza mora lá também.
Comunhão é quando a beleza do outro e a beleza da gente se juntam num contraponto.

Rubem Alves

Citação

Viva

Ignorar o que não se quer ver,
pintar o mundo da cor que lhe convém.
Nem todos gostam das mesmas cores,
nem todos querem olhar as mesmas coisas.
Respeitar e se importar com o outro é demonstração de amor.
O contrário é indiferença.
Não sei com certeza o que eu quero da vida,
mas sei muito bem o que eu não quero.
E isso, eu sei bem, não quero não.
Quero amor, em abundância.
Não vazio, discreto, cinza, meio tom.
Quero transbordante, cheio de vida, estridente.
Porque a vida é curta.
E o agora já foi a pouco.
E o daqui a pouco já é o agora, agora já é nada.

“Hoje, contemplando o fim da tempestade…

“Hoje, contemplando o fim da tempestade,
Já não recolho os destroços como antes.
Levanto minha cabeça e sigo em frente…
Se tenho que tirar uma lição, fica esta:
O vento só leva, quem se deixa levar….”

Rose Felliciano

“Eu perdi o meu medo, o meu medo da chu…

“Eu perdi o meu medo, o meu medo da chuva
Pois a chuva voltando prá terra traz coisas do ar.
Aprendi o segredo,o segredo da vida
Vendo as pedras que choram sozinhas no mesmo lugar.”

Raul Seixas

Atitude de Amar

O amor não é uma sensação
Um formigamento
Um comichão
Não é só contentamento

Envolvido
E tendo escolhido
A atitude de amar
Aquele que ama compreende
Todo o sentido da palavra
Generosidade.

O amor é atitude
É entrega
É escolha
É ação
É verbo.

Por isso, não há que iludir-se
Decidir somente e por-se a amar
É preciso treino e ser vigilante
Pois para amar é necessário atenção
Cuidado e zelo.

Para amar é necessário responsabilizar-se
Pela confiança e entrega
Por que amar é verbo
E não se pode conjugar
Eu ou somente tu
Quando se escolhe um dia
Nós.

Alice Lima

Rio de Janeiro, 27 de maio de 2010.

Alice pergunta ao Gato: – O senhor poder…

Alice pergunta ao Gato:
– O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo tomar para sair daqui?
E o gato responde:
– Isso depende muito de para onde você quer ir
– Não me importo muito para onde…
– Então não importa o caminho que você escolha.
– Contanto que dê em algum lugar…!
Ao ouvir isso, o Gato diz: – oh, você pode ter certeza de que vai chegar… Se você caminhar bastante.

Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas

Do que as namoradas precisam

Atenção rapazes, estou compartilhando todo o meu conhecimento, portanto, é só aproveitar as dicas:

Toda namorada só quer…

1. Ser prioridade em sua vida

2. Que se preocupe com ela

3. Que não a deixe sozinha quando estiver doente

4. Que deixe que ela participe de suas decisões e dúvidas

5. Que busque junto com ela inovações na hora do sexo/amor

6. Respeitar as saídas com seus amigos e que você respeite as delas (contanto que isso não seja mais freqüente que as saídas do casal, e que não seja em lugares onde a gente sabe que vamos ser alvo de outras pessoas solteiras, procurando um parceiro).

7. Procure a namorada para as decisões importantes na sua vida. Isso vai fazer com que os mantenha unidos e as mulheres se sentem valorizadas. Discutir junto um novo emprego, uma nova viagem, um novo endereço… Claro, sem desprezar a opinião individual.

8. Fazer um programa diferente só os dois, pelo menos de 15 em 15 dias e se a verba permitir, uma vez por semana.

9. Carinho… Não acostume sua namorada, para depois abandonar este hábito, daqui a 10 anos, por exemplo, depois de casados. Seja quem você realmente é.

10. Lembre-se de presentear, adivinhar o ela gostaria que acontecesse e surpreender, fazer agrados, surpresas… Se for ser um hábito, tenha em mente que é preciso ter força para manter, pois é muito ruim pensar que a pessoa que está do nosso lado se conformou, pois já conquistou. A conquista é diária, e o amor pode morrer de repente, se não for alimentado, como uma plantinha. 

11. Ser cúmplice.

12. Ter músicas marquem o casal, coisas que só os dois entendem, lugares que sejam importantes.O dia a dia do relacionamento pode ser massante se não houver sabedoria e se ele não for prioridade.

12. Não permita que ninguém diga se sua namorada está errada ou certa, sem antes ouví-la. É muito bom ouvir a opinião dos amigos ou familiares, mas ninguém está na relação, só a gente e quem amamos. Então não é legal ficar deixando as pessoas nos contaminarem com conselhos vazios que não levam a gente a nada. E se alguém falar algo que percebeu, converse, pois pode ser que outra coisa que não tenha nada haver com o que se pensou esteja acontecendo e tudo vire uma bola de neve.

13. Se decidir casar, divida tudo, todas as coisas, as tarefas de casa, o cuidar dos filhos, a ida até a escola, a escolha das roupas, do que ele vai aprender, dos castigos, das permissões…

14. E ainda, casando… saiba partilhar as contas e não se desesperar ou desanimar frente aos problemas financeiros e reduzir os gastos sem tristeza ou desanimo, mas com otimismo que tudo vai melhorar, juntos.

15. Seja o melhor de você o máximo que puder. Muitas vezes quem agente ama, é tudo de bom, paciente, legal e alegre com seus amigos e família e às vezes, extremamente egoísta com quem ama! A causa disso pode até ser o fato de não se estar acostumado a compartilhar seu tempo, espaço ou sua vida com outras pessoas que não os amigos e familiares, conseqüência talvez do medo de perder a independência… Mas é preciso pensar que, se quem você está namorando será a pessoa que você quer fazer uma nova família, e se é tão prioridade para você quanto seus amigos e família ou ainda mais, por que quem será sua nova família será está pessoa, afinal, quem deverá ser sua melhor amiga daí em diante, sendo um dia a mãe dos seus filhos, também.

16. Permita que ela fale, faça com que saiba ouvir, a ouça também, isso num looping infinito rsrs. É preferível que haja conversa sobre qualquer coisa e situação que os deixem chateados, por menor que seja, antes que se convertam em uma bomba. 

17. Tenha cuidado com tom de cobrança e tem que haver muito respeito e tolerância, porque nem sempre se é perfeito e às vezes erramos feio naquilo que nós sempre erramos, que estamos acostumados mesmo a errar.

18. Se você a ama, comece a planejar o futuro, se lançando, sem medo.

Adaptado de uma carta que escrevi, em 31 de janeiro de 2010.

Entradas Mais Antigas Anteriores

%d blogueiros gostam disto: